Seja muito bem-vinda/e/o à Rede Comuá!

Medir o que Importa é político!

Medir o que Importa é político!

“Há uma incompatibilidade na medição entre o que as pessoas que trabalham no nível local consideram importante e o que os financiadores querem ouvir. Muitas vezes, esse desafio é refletido em termos de modelos lógicos lineares, que exigem uma simplificação excessiva e muitas vezes limitam uma abordagem mais holística ou colaborativa” (Dana Doan e Barry Knight, 2020). 

A escassez de financiamento direto e flexível para direitos humanos no Sul e Leste globais: reflexões sobre o cenário brasileiro 

A escassez de financiamento direto e flexível para direitos humanos no Sul e Leste globais: reflexões sobre o cenário brasileiro

Um dos grandes gargalos e desafios no fortalecimento das organizações da sociedade civil que atuam nas áreas de justiça socioambiental e de direitos humanos no Brasil diz respeito ao financiamento, já que são poucas as instituições filantrópicas internacionais e locais que apoiam esse campo com  foco no desenvolvimento institucional de organizações de base, movimentos sociais e lideranças.

Rede Comuá apoia campanha #TooSouthernToBeFunded, do Movimento #ShiftThePower

Rede Comuá apoia campanha #TooSouthernToBeFunded, do Movimento #ShiftThePower

Em um cenário de constantes ataques à democracia, direitos cerceados e redução dos espaços cívicos, a ampliação das doações a organizações da sociedade civil, movimentos, coletivos e lideranças é um dos caminhos para se fortalecer a luta por direitos e a democracia não só no Brasil, mas também em outros contextos do Sul Global.

Rede Comuá participa do C20, grupo de engajamento de organizações da sociedade civil do G20

Rede Comuá participa do C20, grupo de engajamento de organizações da sociedade civil do G20

A Rede Comuá e as organizações membro têm participado ativamente das atividades da iniciativa C20, plataforma oficial para que organizações da sociedade civil e movimentos sociais em todo o mundo expressem as aspirações das pessoas para os líderes mundiais do G20, principal fórum de cooperação econômica internacional. O Brasil ocupa atualmente a presidência do Grupo e hospedará a Cúpula do G20 em novembro, na cidade do Rio de Janeiro.

A Transformação da Filantropia: práticas da filantropia independente e comunitária no Brasil

Nos últimos anos, a filantropia no Brasil tem sido alvo de crescente escrutínio, catalisado tanto por movimentos globais quanto nacionais, como o Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, no Brasil), o movimento #ShiftThePower (#PoderParaAsComunidades, em português), o Mês da Filantropia que Transforma, promovido pela Comuá e parceiros, a Philanthropy Transformation Initiative (Iniciativa pela Transformação da Filantropia, em tradução livre), pela WINGS, entre outros. Essas iniciativas promovidas por diversos atores da sociedade civil, bem como por organizações e redes filantrópicas, refletem uma crescente conscientização sobre a necessidade de abordar não apenas desafios sociais imediatos e a policrise, mas também questões sistêmicas que estão na raiz das desigualdades e da injustiça. Elas também levantam a questão do papel (e compromisso) real da filantropia com a transformação.

Nos últimos anos, a filantropia no Brasil tem sido alvo de crescente escrutínio, catalisado tanto por movimentos globais quanto nacionais, como o Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, no Brasil), o movimento #ShiftThePower (#PoderParaAsComunidades, em português), o Mês da Filantropia que Transforma, promovido pela Comuá e parceiros, a Philanthropy Transformation Initiative (Iniciativa pela Transformação da Filantropia, em tradução livre), pela WINGS, entre outros. Essas iniciativas promovidas por diversos atores da sociedade civil, bem como por organizações e redes filantrópicas, refletem uma crescente conscientização sobre a necessidade de abordar não apenas desafios sociais imediatos e a policrise, mas também questões sistêmicas que estão na raiz das desigualdades e da injustiça. Elas também levantam a questão do papel (e compromisso) real da filantropia com a transformação.

Associação Nossa Cidade (Fundo Regenerativo de Brumadinho) passa a integrar a Rede Comuá

Associação Nossa Cidade (Fundo Regenerativo de Brumadinho) passa a integrar a Rede Comuá

A Associação Nossa Cidade, localizada em Belo Horizonte, Minas Gerais, é a mais nova integrante da Rede Comuá. No âmbito dela surgiu o Fundo Regenerativo de Brumadinho, iniciativa criada por várias entidades em resposta ao rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho, mais precisamente no distrito de Córrego do Feijão, Minas Gerais, em 25 de janeiro de 2019 e que resultou na morte de 272 pessoas e 11 desaparecidos e causou danos ambientais significativos na região.