Seja muito bem-vinda/e/o à Rede Comuá!

Chegando na ponta: Rede promove mapeamento de fundos independentes que atuam no campo da filantropia comunitária e de justiça social

Por Camila Guedes

Alcançar e conhecer organizações e iniciativas – formais e informais – que atuam na doação de recursos financeiros para a sociedade civil – comunidades locais, organizações, coletivos e lideranças – que atuam no campo da defesa e reconhecimento de direitos, num sentido amplo, e no desenvolvimento de territórios é fundamental para a promoção do fortalecimento da filantropia comunitária e de justiça social.

No ano 2022, em parceria com a Ponte a Ponte (pAp), a Rede de Filantropia para a Justiça Social (RFJS) está desenvolvendo uma pesquisa que tem por objetivos mapear e conhecer o campo da filantropia independente no âmbito local/nacional no Brasil e identificar iniciativas que doam para organizações, grupos, coletivos e lideranças da sociedade civil que atuam no campo da promoção e defesa dos direitos socioambientais, humanos, raciais, de gênero e de cidadania em suas intersecções.

Trata-se de uma pesquisa inovadora, que contribuirá com informações estratégicas para a produção de conhecimento sobre os campos da filantropia comunitária e de justiça social independente no país. Por meio de abordagens qualitativas e quantitativas, este estudo procura identificar/mapear iniciativas e reunir informações para compreender como as diversas organizações doadoras independentes atuam, como são constituídas, como e com quem se conectam, como apoiam outras organizações, pessoas ou comunidades e quanto destinam para esses apoios.

Entender as áreas e públicos de interesse das doações, as regiões de atuação e para onde os recursos são direcionados, às estratégias de comunicação e as trajetórias históricas das organizações, as ações de grantmaking – como se dão os processos de seleção para facilitar o acesso às doações, os processos de monitoramento, avaliação e prestações de contas – são aspectos fundamentais do estudo. A pesquisa também olhará para as fontes de financiamento e a relação com doadores, parcerias e participação em redes, já que entender estas articulações será estratégico para o fortalecimento da filantropia comunitária e de justiça social no país, fornecendo insumos para a construção de ações, projetos e apoios.

A iniciativa deverá gerar informações e conhecimento inovadores, dando visibilidade a atores diversificados do campo, contribuindo com o reconhecimento de ações coletivas conduzidas por minorias políticas e para o desenvolvimento de comunidades de acordo com as necessidades e potencialidades dos territórios de atuação.

Acreditamos que o estudo abrirá espaço para conhecer novas formas de se fazer filantropia, incentivando e fomentando a cultura de doação no país.

Selo Doar Para Transformar

Como resultado da pesquisa, serão produzidos materiais de comunicação e publicações sob o Selo Doar para Transformar, que incentiva e busca criar um espaço de reflexão e debate a partir da produção de materiais que promovam a filantropia comunitária e de justiça social como estratégia para alcançar o desenvolvimento liderado pelas comunidades, fortalecendo a reivindicação de direitos, com foco em minorias políticas.

CONTINUE LENDO

O Papel Transformador da Afroecologia e da Filantropia Comunitária na busca por Justiça Socioambiental
O Papel Transformador da Af...
23 de fevereiro de 2024
Rede Comuá lança a segunda turma do Programa Saberes, com nove participantes
Rede Comuá lança a segunda ...
23 de fevereiro de 2024
Censo GIFE 2022: uma breve leitura dos dados à luz da filantropia comunitária
Censo GIFE 2022: uma breve ...
18 de janeiro de 2024
Poder pra Respirar
Poder pra Respirar: reflexõ...
18 de janeiro de 2024
Carregando mais matérias....Aguarde!