Seja muito bem-vinda/e/o à Rede Comuá!

Apoio

Saberes

Valorizar saberes construídos pelos territórios e por minorias políticas é o espírito que guia o Programa Saberes. 

O Programa tem a finalidade de promover a produção e o compartilhamento de conteúdo e conhecimento a partir da sistematização de práticas, experiências, reflexões e desenvolvimento de estudos e de tecnologias sociais que possam impulsionar e posicionar as agendas da filantropia comunitária e de justiça social nos ecossistemas filantrópicos brasileiro. 

Através da seleção de lideranças comunitárias e/ou profissionais que atuam nos campos da filantropia e da sociedade civil, o Programa apoia por meio da cessão de bolsas pessoas pesquisadoras, estudantes, lideranças comunitárias e da sociedade civil com a finalidade de promover a produção de  conhecimentos atualizados e inovadores vinculados aos campos da filantropia comunitária e de  justiça socioambiental.

 Esse conhecimento, além de demonstrar a potência de experiências e saberes comunitários, busca valorizar a identificação de práticas filantrópicas e arranjos colaborativos articulados com as comunidades (entendido no sentido amplo), grupos, movimentos e redes da sociedade civil nas agendas de acesso e reconhecimento de direitos humanos e de cidadania, com foco em minorias políticas.  Dessa forma, o Programa Saberes busca fortalecer o Programa de Incidência da Comuá, que visa incidir no ecossistema filantrópico a partir da produção de conhecimento sobre o campo, entendida como uma ação estratégica.   

Em suma, o Programa Saberes tem por objetivos:

  • Promover a produção de conhecimentos, em seus mais distintos formatos, a partir da produção de narrativas, da sistematização de práticas, experiências, reflexões, bem como outras produções relacionados às agendas da filantropia comunitária e de justiça socioambiental;
  • Dar visibilidade às agendas, práticas e formas de atuação desenvolvidas por diversos atores do campo da filantropia comunitária e de justiça socioambiental – inclusive de membros da Rede Comuá e de fundos independentes – contribuindo com o fortalecimento do Programa de Incidência da Rede Comuá;
  • Contribuir com  o fortalecimento de lideranças e profissionais que atuam nos campos da filantropia e da sociedade civil – envolvendo  profissionais que integram as organizações membro da Rede Comuá – através do desenvolvimento de  atividades de formação e pesquisa nos campos de justiça socioambiental e desenvolvimento comunitário;
  • Criar uma Comunidade de Práticas (CoP) integrada por lideranças e profissionais que advogam e disseminem as práticas e modos de fazer da filantropia comunitária e de justiça socioambiental, promovendo práticas emancipatórias em seus territórios, organizações e outros espaços de incidência.

PROGRAMA SABERES 2022

Em 2022, foram realizados 7 apoios para lideranças e profissionais da sociedade civil que desenvolveram pesquisas e projetos em diferentes áreas, contribuindo para o fortalecimento do campo da filantropia comunitária e de justiça social no Brasil. Para saber mais sobre as pesquisas dessa primeira turma, ouça a primeira temporada do podcast da Rede Comuá aqui e acesse suas produções no Transforma.

O projeto visa uma avaliação geral do financiamento de micro projetos junto a povos e comunidades tradicionais do Cerrado e Amazônia, implementados pelo ISPN (Instituto Clima, Sociedade, População e Natureza) como uma ferramenta de filantropia que procura se adequar à realidade de muitas destas comunidades, nas quais existe uma grande carência de fomento em paralelo à grande dificuldade de acesso e gestão de recursos para incrementar suas atividades.

O projeto visa fortalecer a construção de narrativas e diagnósticos sobre o campo da filantropia e do investimento social privado no Brasil, incidindo para a desburocratização e a priorização do repasse de recursos para iniciativas faveladas e periféricas voltadas à justiça racial, social e de gênero. Para isso, será promovida a coleta e estudo de experiências nacionais e internacionais voltadas a tornar acessível o debate sobre a democratização da filantropia no país.

O projeto busca investigar as experiências internacionais e nacionais de círculos de doação (giving circles), assim como estratégias que estão sendo adotadas pelo FunBEA na experiência de planejamento e estruturação da campanha do círculo de doadores do Litoral Norte de São Paulo, buscando reconhecer características e idiossincrasias com a literatura internacional sobre círculos de doação.

Tem como objetivo sistematizar a experiência local de fortalecimento de organizações de base comunitária que atuam na região da Grande Florianópolis atendidas pelo ICOM, por meio do serviço de consultorias individuais, gratuitas e personalizadas, relacionadas ao desenvolvimento institucional para a filantropia comunitária.  O ICOM é referência neste tipo de consultoria na região, e a sistematização dessa experiência, de modo a formatar um conjunto de materiais e ferramentas, poderá ser replicada em outros contextos e organizações.

O projeto visa reunir e sistematizar, em um e-book, as perspectivas políticas de lideranças e organizações de mulheres negras das regiões Norte e Nordeste sobre o universo da filantropia negra.

Pretende obter uma visão qualitativa sobre a inserção das comunidades de terreiro nos ecossistemas filantrópicos, realizando entrevistas com lideranças que desenvolvem ações comunitárias e organizações que promovem a filantropia comunitária. As entrevistas serão semi estruturadas, guardando unidade temática, mas sujeitas à dinâmica da conversa, aberta, informal, entre pares.

O projeto pretende promover a rememoração e reflexão sobre o Fundo Regenerativo de Brumadinho, possibilitando a replicabilidade da experiência em outros territórios. Para isso, uma série de entrevistas com moradores, mentores, equipe de curadoria e recebedores dos recursos revelarão o passo a passo do desenho do fundo, desde a ideia inicial até a execução dos projetos locais. 

NOVA CONVOCATÓRIA

Em 2024, o Programa seguirá promovendo a atuação coletiva e em rede para a construção de estratégias e narrativas, a produção e o compartilhamento de conteúdo que possam impulsionar e posicionar as agendas de acesso a direitos nos ecossistemas filantrópicos brasileiro e internacional, ampliando práticas de grantmaking (apoio) e a cultura de doação em prol de grupos, coletivos, movimentos, lideranças e organizações da sociedade civil comprometidas com esses campos de atuação. 

Acesse a nova convocatória aqui: